GOD IS NOT A DELUSION – (34) – Clique por favor no link ao lado.

____________________

PRÓS E CONTRAS DA AUTONOMIA DO BANCO CENTRAL DO BRASIL. DO BRASIL…

O Globo de sexta-feira, 12, página 20, publicou artigo do professor Rogério Furquim Werneck, da PUC-RIO, em que o ilustre economista é bastante severo com a Presidente. Ele defende a autonomia do Banco Central, pena que não diz porque; a única fundamentação oferecida, sem detalhes, é que Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Nova Zelândia, Austrália, Coréia do Sul, Israel e Chile adotam o modelo. Dos 8 países citados, 5 combinam-se estrutural e politicamente, sendo os Estados Unidos uma derivação europeia cultural e economicamente calcada na Inglaterra desde os seus primórdios como país e como nação. O Brasil é uma derivação portuguesa.

O Globo de ontem, 14, página 19, publicou artigo de Gustavo Franco sobre a independência do BC. Franco não é um teórico, é um profissional brilhante com invejável experiência na área econômica. Fundamenta. Todo fundamento tem de ser sopesado.

Como diz o Ancelmo Gois, perguntar não ofende. Dona Marina defende mandato fixo para o presidente do Banco Central; muito bom. Será? Imaginemos o titular da Instituição, independente, cometendo erros que desarrumem a economia, provoquem inflação e, por acaso, favoreçam os bancos ainda mais do que já se verifica. Quem responderá pela baderna, o presidente do Banco Central ou o Presidente da República, que terá de aguentar o marajá por, digamos, pelo menos 2 anos, com todas as loucuras que praticar? Cumprido o biênio, o presidente debandado do BC arrumará a mesa, recolherá das gavetas os objetos pessoais e, possivelmente, irá gozar longas e “merecidas” férias em algum lugar do planeta, enquanto o Presidente da República ficará no Brasil de cabeça inchada de tanta paulada que certamente receberá. Sem nenhuma responsabilidade objetiva.

O que se sabe e assiste do modelo cultural do país, sob todos os seus aspectos, recomenda um Banco Central independente?

E quem debelou a inflação não foi o BC, mas a iniciativa do Governo Itamar Franco e o talento dos 4 cavaleiros do Cruzado. Fernando Henrique foi mero executor e Lula apenas deu seguimento à política econômica formulada no governo Itamar. Sem Banco Central independente.

Não seria bom parar e dar uma pensadinha? Em épocas de eleição as cabeças, parece, ficam um tanto confusas.

____________________