Tags

,

Terça-feira última, dia 8, o site Yahoo!/Mãe de salto alto postou sobre bullying. Texto inteligente e oportuno, registrei comentários; por três vezes, entre 13:15 e 14:15, foram removidos (em lugar do Denuncie Abusos ao lado do nome do autor do comentário, no meu caso aparecia a palavra Remover. Reproduzo o último comentário censurado:

`Bullying é crime, sim, Pati. Covarde, imoral, especialmente quando praticado contra crianças. O caso abordado por você é típico e ilustrativo de lesão corporal grave. Fere, além da lei ordinária, princípios constitucionais´.

Usuário de Yahoo! há muitos anos, não sou um estranho. Agora, parece, estou sendo censurado. Pode ter havido um problema técnico. Tentarei outra vez na próxima terça-feira; espero seja sanado. Trata-se de questão federal de agressão frontal à Constituição da República. E isso, desnecessário dizer, é coisa muito séria que um velho advogado não pode deixar passar em branco. Censura é intolerável. E censurar-me por quê? Há uma ordem para isso? De onde partiu e mediante quais fundamentos? Preciso analisá-los à luz dos textos legais aplicáveis, sem excluir Representação junto ao Órgão competente do Ministério da Justiça.

Postei aqui sobre esquisitices no meu Mac. Levei-o para exame de pessoa qualificada para o assunto. Não, as esquisitices não são do Mac, era de esperar.

Uma conhecida ganhou de presente um iPad. Travado, levou-o à Apple São Paulo; adivinhem o que aconteceu? Entraram em contato com Nova York e de lá veio, simplesmente, a seguinte instrução: troquem a máquina. Ela voltou para Niterói com um iPad novo.

Não é por acaso que Apple alcançou o status de Empresa mais valiosa do mundo. Não precisou entupir internet, televisão, jornais e revistas com propaganda pesada, encartes e coisas do gênero. Veio-me à lembrança o assunto dos meus posts de sexta-feira, 7 de janeiro, e domingo, 8 de maio de 2011, até hoje sem solução.

Todos correm para a empresa pautada em seriedade, profissionalismo, competência e zelo pela marca sem necessidade de que lhes façam a cabeça.

Descanse em paz Steve Jobs.