Figura Tema

– Grande luz não chegar cria caminha aonde?- No baixo montanha Iushi ver plantas Convar curarBatoi grande medo cria vai perto montanha povo malvadoGrande luz mora montanha protege IushiCaminha lá alto Iushi sozinhaNão medo Convar muito ensinar IushiIushi pensar saber muito medo Batoi

Característica do incipiente estágio da fala, a conversa era um amontoado de gestos e guturalizações contínuos, não havia pausas ou método, era um arremedo de linguagem.

A jovem fêmea riu divertida; enquanto jogava nos ombros a sacola tecida com fibras vegetais, pegou uma lanosa pele animal para proteger-se do frio.

Convar precisar plantas cria Batoi cuidado ir

Afastando a pesada peça de galhos trançados que protegia a entrada da habitação redonda de barro construída no topo de pequeno cimo na periferia do acampamento, desceu tranquila para o vale, tomando a direção da grande montanha. Convar apareceu.

Fêmea feiaFêmea zangada Convar ensinar coisa perigo IushiBatoi não poder Convar fazer cria perto olhos sozinha cria saber coisa defende cria

Convar à frente, saíram para o terreiro, à entrada da habitação, de onde, calados, observaram por um momento Iushi caminhando já a certa distância, colhendo ao longo do caminho uma flor, uma folha, um pendão, recolhendo no chão um fragmento qualquer, uma pedra, atirados numa ou noutra direção. Convar quebrou o silêncio.

Convar levar Iushi ver tudo aprender outros Zinsan bom Mentor Damur mau Convar medo fecha olho não abre Batoi fecha olho não abre cria não ensinada faz fraca bruta sofre encontrar luz dentro cria iluminar cabeça ver direito caminho proteger outros ensina aprende faz cria melhor grande luz vai volta frio calor vai volta cria mais sabedoria igual Zinsan cria quieta saber vida não atirador fora Convar olhar grande luz água muita barulho lá alto grande chicote bate queima Convar olhar coisa mau Iushi Batoi Convar

Usavam o corpo, as mãos para exprimir significados, movimentos, formas. Ao guturalizar olhar coisa, Convar, polegares esticados, bateu com os dois punhos no peito; depois, cabeça baixa, pés plantados, braços caídos, olhos semicerrados, calado, pendulou cadenciadamente o corpo, para frente, para trás, para frente, para trás… Imobilizou-se, ergueu a cabeça, abriu os olhos, vagou-os, perdidos, ausentes, pareceu em princípio não saber onde estava, o que fazia ou fizera, demorou um pouco para reencontrar-se; sua fisionomia, (…)

Anúncios