Sob a chamada de capa ARMADILHAS VIRTUAIS – Os criminosos virtuais fazem novas vítimas a cada instante. E o pior: combatê-los não é nada fácil, o Jornal do Advogado da Secional da OAB de São Paulo deste mês de junho de 2011 faz em suas páginas centrais nºs. 16 e 17 grave alerta para o alto nível de risco a que se expõem quantos, por necessidades gerais, profissionais ou por simples lazer transitam pela rede mundial de computadores.

 Embora a preocupação cristalizada na publicação da Ordem, o artigo – Os desafios de combater o cibercrime – é de marcante interesse não apenas para os advogados; o papel desempenhado por nossa entidade de classe transcende, historicamente, os interesses dos profissionais do Direito, projetando-se no sentido dos interesses legítimos de toda a sociedade brasileira.

Detalhando os recentes e poderosos ciberataques que evidenciam a necessidade de investir em proteção e segurança no mundo virtual, o texto destaca o expressivo montante de US$150 bilhões que, no mundo todo, estima-se haver sido faturado pelos criminosos virtuais em 2010 com dados roubados de pessoas físicas e de empresas. Do software malicioso, que registra e transmite para endereços virtuais especificados quando de sua configuração informações do patrimônio intelectual/profissional/comercial e industrial, além do pessoal e geral de pessoas e empresas, passando pela recomendável utilização de redes privadas para a guarda dos dados mais valiosos, o artigo põe em tela o desafio de fazer a internet um lugar seguro para todos.

Do método fishing ao acionamento remoto do microfone ou da câmara do celular para controlar o usuário ao encurtamento de endereços de sites (URLs), popularizado pelo Twitter, o alerta vai às cifras das atividades dos bandidos, cuja diversificação, assinala, afinal, desperta o receio de que, em atos extremos, pode atingir populações inteiras.

Peço licença para transcrever as Dicas de proteção e segurança oferecidas à página 17:

– O sistema operacional e os programas do computador devem estar sempre atualizados, pois muitas das atualizações feitas destinam-se justamente a corrigir falhas de segurança

– Use sempre ferramentas de proteção, como um bom programa antivírus, um anti-spyware (contra programas espiões) e um firewall

Nunca clique em links que apontem para sites desconhecidos sem antes conferir o seu destino. Para isso, clique com o botão direito do mouse sobre o link e confira suas propriedades

– Troque suas senhas periodicamente e evite as muito simples, como 22222

– Não use a mesma palavra-chave para vários serviços na rede

– Lembre-se que bancos e órgãos públicos nunca pedem dados como senhas por meio de mensagens eletrônicas

– Não use máquinas públicas, como as de cibercafés para acessar serviços bancários ou fazer compras pela internet

– Antes de fazer compras em lojas virtuais, verifique se o ícone do cadeado está no canto inferior da tela e confira se a empresa existe fisicamente, tem endereço, telefone fixo etc.

– Ao baixar arquivos da internet, faça sempre uma varredura com o programa antivírus

– Ao receber mensagens genéricas em redes sociais evite clicar em links

– Jamais divulgue informações confidenciais em fóruns de discussão e em redes sociais, nem divulgue fotografias ou vídeos pessoais. Criminosos pesquisam o perfil de suas vítimas na internet

– Não coloque seu e-mail em sites desconhecidos e não repasse correntes, que são utilizadas por spammers para aumentar suas listas de endereços

– Apague todo o material de remetentes desconhecidos e nunca abra anexos sem antes passar o antivírus

Anúncios